topo
meio_simbolo riscas1
  simbolo_bottom  
espaço
 
editora
separador
espaço
separador
espaço
 
produtos
separador
espaço
separador
espaço
separador
espaço
separador
espaço
separador
espaço
 
Instruções aos autores
separador
espaço
separador
espaço
separador
espaço
separador
espaço
separador
espaço
separador
espaço
 
 
 

 
Livros
separador Revistas

separador POLIS: REVISTA DE ESTUDOS JURÍDICO-POLÍTICOS
espaço

Encomendas

Título: Polis: revista de estudos jurídico-políticos
Director: Ricardo Leite Pinto
Série: II
Número: 6 (Setembro-Dezembro)
Local: Lisboa
Ano: 1998
Páginas: 199
ISSN: 0872-8208
Periodicidade:
Dimensões: 22x16 cm
Encadernação: Brochado
Peso: 310 gr
Preço: 10,60 €
Sumário:

ARTIGOS

Ricardo Leite Pinto
Nota de abertura

Abílio Manuel de Almeida Morgado
Interpretação da lei fiscal

Manuel Lopes Rocha e Ricardo Leite Pinto
Dados pessoais informatizados e democracia interna nos partidos políticos

Miguel Catela
Modificações recentes na regulamentação dos contratos públicos internacionais

Nuno Rogeiro
Do poder legitimado – os “tipos ideais” de autoridade na sociologia política de Max Weber

William A. Galston
Promoting tolerance for the twenty-first century

DOCUMENTOS

Debates na Constituinte de 1911
Egas Moniz, Manuel de Arriaga, Barbosa de Magalhães, Alexandre Braga, José Barbosa, Inocêncio Camacho, Ramada Curto, Eusébio Leão e Aresta Branco

JURISPRUDÊNCIA COMENTADA

Tribunal Europeu dos Direitos do Homem
Acórdão 7/1994/454/535 – Caso Vogt vs. Alemanha
Anotação de Luís Serradas Tavares

LIVROS E REVISTAS

Afonso d’Oliveira Martins
La revision constitucional y el ordenamiento português

Paulo Otero
O poder de substituição em direito administrativo

Jónatas Eduardo Mendes Machado
Liberdade religiosa numa comunidade constitucional inclusiva

Luís Serradas Tavares
A aplicação interna das convenções internacionais face ao controlo do Tribunal Constitucional


Resumo:

Após alguns (poucos) anos de interregno, a Polis reaparece.
Continuará a ser um forum aberto e plural, não enfeudado a escolas, ideologias, doutrinas ou correntes, como a composição do Conselho Científico o espelha. Pretende manter-se como “um constante e inquieto cadinho de ideias”, onde os colaboradores, à margem de rótulos académicos ou profissionais se distingam unicamente pela qualidade e seriedade da sua produção intelectual. E procurará manter-se fiel ao ecletismo temático que a inspirou, acolhendo colaborações usualmente inseridas no Direito Constitucional e na Ciência Política, mas alargando-se aos contributos do Direito Comunitário, do Direito Internacional Público, da História Política ou da Teoria Política. Razões pois para mantermos inalterável o “estatuto editorial” que no nº 1 da I.ª série se deu à estampa.
Para além disso, como o leitor constatará, a Polis mantém a mesma estrutura interna – com idênticas secções (com excepção do “Observatório Eleitoral”, que regressará no próximo número) -, apresenta o mesmo aspecto gráfico e continua a alimentar a mesma (modesta) ambição. A de cativar alguns interessados, por poucos que sejam, para o terreno fértil e entusiasmante do estudo e da discussão dos fenómenos jurídico-políticos.
(Ricardo Leite Pinto)

 

topo  topo

 



   

separador
espaço
 
   
 
espaço

separador
espaço
 
   
 
espaço

separador
espaço
 
   
 
espaço

separador
espaço
 
   
 
espaço

separador
espaço
 
   
 
espaço

separador
espaço
 
   
 
 
espaço

 
  simb.reader Download Acrobat Reader    simb. winzip Download Winzip  
espaço
espaço


Copyright © 2003 Universidade Lusíada de Lisboa | Todos os direitos reservados
Resolução 800x600 pixeis | Internet Explorer 4.0
Actualizado em