topo
meio_simbolo riscas1
  simbolo_bottom  
espaço
 
editora
separador
espaço
separador
espaço
 
produtos
separador
espaço
separador
espaço
separador
espaço
separador
espaço
separador
espaço
 
Instruções aos autores
separador
espaço
separador
espaço
separador
espaço
separador
espaço
separador
espaço
separador
espaço
 
 
 

 
Livros
separador Livros

separador Direito europeu e identidade europeia: passado e futuro
espaço

Encomendas

Autor: José Artur Anes Duarte Nogueira
Título:
Direito europeu e identidade europeia: passado e futuro
Local: Lisboa
Ano: 2007
Páginas: 51
ISBN: 978-972-8883-91-1
Depósito Legal: 256728/07
Dimensões: 24x17 cm
Encadernação: Brochado
Peso: 120 gr
Preço: 13,12 €

Sumário:

1. Direito europeu e Europa

1.1. Considerações preliminares
1.2. Direito europeu ou direitos europeus
1.3. Europa e identidade

2. Ideia de Europa

2.1. Ideia de Europa
2.2. A fragmentação como ponto de partida
2.3. Factores europeus: território, população, vivência, significância e identidade
2.4. Objectividade e subjectividade
2.5. O tempo mitológico e o tempo histórico
2.6. O tempo actual
2.7. Factores subjectivos

3. Identidade Europeia

3.1. Identidade europeia
3.2. Identidade e cultura
3.3. Alguns factores: Língua, religião, direito
3.4. Valia e perigo da identidade
3.5. A recusa da identidade
3.6. Considerações finais

A Europa existe em potência desde o tempo em que, para muitos, era apenas o lugar onde o sol se punha quotidianamente, num horizonte longínquo. Tentando atingi-lo, ao longo de milénios, indivíduos ou grupos de diferentes origens e proveniências, foram construindo lugares de vida no território que o precedia, avançando para ocidente.

Em comunidades isoladas, primeiro, depois mais próximas, quando o contacto se tornou inelutável transformaram-se em grupos extensos. Desde cedo, a proximidade ofereceu-lhe acesso a vivências diversificadas, traduzidas em línguas, regras, pensamento e crenças. Conjugadas em recombinações variadas, favorecidas pelas frequentes movimentações e sedimentadas através de elementos civilizacionais, emergiram culturas diferentes associadas a muitos desses grupos. Mas, ao mesmo tempo que as diversidades se fortaleciam no sentido dos identitarismos, subsistiam elementos identitários comuns, fruto do muito que os afectara a todos, ao longo do tempo e de vivências abrangentes que nunca se tinham de todo esbatido.

Com o tempo, a guerra tornar-se-ia num quase elemento cultural, até que, muito mais tarde se quis acabar com a própria guerra. Por medo dela e da sua lembrança, os hodiernos colocaram então os elementos identitários numa retoma, preferindo esquecê-los, relativizá-los ou negá-los. Mas, poderá a Europa viver sem uma identidade? Não será essa crença a porta de entrada para um novo retorno ao identitarismo?.

 

topo  topo

 



   

separador
espaço
 
   
 
espaço

separador
espaço
 
   
 
espaço

separador
espaço
 
   
 
espaço

separador
espaço
 
   
 
espaço

separador
espaço
 
   
 
espaço

separador
espaço
 
   
 
 
espaço

 
  simb.reader Download Acrobat Reader    simb. winzip Download Winzip  
espaço
espaço


Copyright © 2003 Universidade Lusíada de Lisboa | Todos os direitos reservados
Resolução 800x600 pixeis | Internet Explorer 4.0
Actualizado em